sábado, 13 de fevereiro de 2010

13/02 - Três Arroyos até Trelew – 958 km.

Reflexo

Início da Patagônia


Tempestade de areia


Hahahaha


Rio Negro


Reta sem fim



Ao deixar a cidade de Três Arroyos volto para a Ruta 3. Esta “carretera” começa em Buenos Aires e vai até a Baía de Lapataia, depois de Ushuaia, lugar considerado como o fim do mundo. Na verdade não é. A Ilha de Navarino no território Chileno ainda está mais ao sul. As ilhas Terra do Fogo e Navarino são separadas pelo Canal de Beagle, em memória ao navio no qual Darwin deu a volta ao mundo: HMS Beagle. Todo navio da marinha inglesa tem o prefixo HMS que significa His (Her) Majesty’s Ship. Além do navio o próprio Darwin foi homenageado, seu nome foi utilizado para batizar os últimos picos da Cordilheira dos Andes, que leva o nome de Cordilheira Darwin.

Assim que entro na Ruta 3 sinto o carro puxar fortemente para o lado esquerdo. Droga, pensei, devo estar com um pneu murcho. Ao calibrar os pneus em La Plata o rapaz esqueceu de recolocar a tampinha de plástico no dianteiro esquerdo. Pronto, além de perder a tampa ainda ganhei um vazamento na válvula. Vou ter que parar na próxima “estación de servicio”. Antes de chegar ao posto, contudo, reparo que o mato ao lado da pista está a balançar, bem de leve. Algumas das árvores mais altas também balançam, mas tem que prestar muita atenção. Será? O balé do mato não estava condizente com a “puxada” para a esquerda. Fico observando intrigado. Passam 5 minutos e resolvo dar uma limpada no pára brisa já bastante sujo de insetos. Vem a confirmação: o jato do limpador quase não chega ao vidro, é empurrado para baixo e para a esquerda. Que vendaval! Em alguns momentos uma nuvem de areia invade a pista e não dá pra enxergar quase nada, os carros praticamente param. É a primeira vez que sinto a força do vento quase Patagônico. Em alguns minutos, além de jogar o carro para o lado o vento passa também a soprar contra o veículo. Para permanecer em 120 km/h eu tenho que pisar até o fim e ainda sinto o carro sofrendo. O rendimento do combustível cai bruscamente de uma média de 11,4 km/l para 7,95!! Sou obrigado a fazer uma parada não programada para reabastecer. Nesta parada tenho a idéia de retirar o recks para diminuir o arrasto (operação simples graças ao sistema de “click” da Thule). Melhora mas não muito, o rendimento sobe para 8,57 km/l, o carro sofre um pouco menos e o barulho de vento diminui. Por um momento senti saudades da minha Parati GLSi 2000. Que nada, a Parati não ia encarar nada bem o rípio que ainda vem pela frente.

Ao cruzar o Rio Colorado estou oficialmente em terras Patagônicas. O vento continua forte e a viagem torna-se penosa. Mais uns 150 km e chego às cidades de Viedma e Carmen de Patagones. Aqui o Rio Negro chega volumoso para desembocar no Oceano Atlântico. Mais uma parada para reabastecimento e empanadas.

Sigo pela Ruta 3 e o vento diminui. Já era hora. O trecho de hoje é bem longo e ainda estou na metade mas não posso pensar nisso. Volto a curtir a viagem conduzindo o carro nos 3.000 rpm e som na caixa.

Tenho que parar 3 vezes para revistarem o carro. Todos os veículos são obrigados a parar nas barreiras Zoofitosanitárias. Qualquer animal, fruta, alimentos in natura que possam transmitir a Febre Aftosa são confiscados nestas barreiras. A Patagônia é uma região que conseguiu extinguir a febre e toma algumas precauções, com razão. Os agentes são bem educados, pedem licença para olhar o seu carro, dão uma olhada meia boca e te deixam seguir.

11 horas depois de deixar Três Arroyos chego à Trelew: 958 km num dia. Acumulado: exatos 3.600 km!!

Entro no primeiro hotel que por sorte é bom e justo. Tomo um banho e vou jantar. No restaurante a garçonete me informa que há mais um brasileiro jantando. Ele já estava de saída e vem conversar comigo. James Bittencourt: o cara é um músico que está indo para Ushuaia de bike!!! Começou em Curitiba com três amigos mas acabou ficando pra trás, queria curtir mais as paradas e os outros 3 se mandaram, devem estar uns 3 dias à frente dele neste momento. Disse que pedala em média 150 km por dia e deve chegar em Ushuaia daqui a uns 12 dias. Depois eu que sou maluco...

Buenas, vou dormir porque amanhã cedo tenho o compromisso mais importante da viagem: buscar a Marina no aeroporto de Trelew. Uhu, 10 dias de companhia maravilhosa!

Buenas noches,

PC

2 comentários:

  1. Paulinho, com que freqüencia vc tem trocado de cueca?

    ResponderExcluir
  2. Muuuuito pertinente esse comentário! Tb quero saber.... : )

    ResponderExcluir